terça-feira, 18 de dezembro de 2012

Você se considera Tímido?

 É possível aprender a lidar melhor com esta característica utilizando experiências de vida  e  intervenção terapêutica.
(...)
A comunicação é um comportamento, em larga medida, aprendido. Tanto os sons das palavras que emitimos como a forma e o conteúdo do que falamos, dependem das experiências que tivemos desde que nascemos. (...)
Se somos comunicativos é porque tivemos um ambiente favorável para expressar nossas idéias e sentimentos desde a infância. O contrário também é verdadeiro: se falamos pouco é porque não tivemos um ambiente favorável para desenvolver uma boa comunicação.
(...)
A timidez é uma das causas de uma comunicação pouco eficaz. Pessoas tímidas falam com volume de voz reduzido e com pouca projeção, tem articulação fechada e, em momentos de nervosismo, a velocidade da fala se acelera e a voz fica trêmula, ocorrendo também bloqueio da fala ou gagueira. Pigarreiam e suspiram com freqüência, gesticulam menos e fazem mais gestos de autocontato, evitam contato de olho, sorriem pouco e de forma contida e tem postura tensa ou curvada para frente. (...)
A inibição e ansiedade são provocadas porque o indivíduo avalia o outro como uma ameaça ou estímulo negativo a sua integridade psicológica.

CAUSAS E MANIFESTAÇÕES

 
Vários autores acreditam que existe uma tendência inata para a timidez, mas estes autores também afirmam que a tendência inata por si só não é suficiente para desenvolver a timidez. Situações que ocorrem no decorrer da vida do indivíduo são decisivas no estabelecimento da timidez, tais como, tratamento severo por parte de pais e professores, pais exigentes, perfeccionistas, tímidos e superprotetores, aparência física, mudanças de vida (mudar de escola, de emprego ou de país, divorcio), experiências negativas anteriores.
A timidez se manifesta no corpo, no comportamento, no pensamento e sentimento do individuo. Boca seca, taquicardia, suor tremor, dor de cabeça e mãos frias são algumas das reações corporais.
Elas pensam que os outros são mais importantes do que ela, subestimam sua competência (...) superestimam as conseqüências de suas ações. Principalmente as que consideram inadequadas e se autopunem com freqüência.
Pessoas tímidas sentem medo, vergonha, rejeição, solidão e sua auto-estima é baixa, além de se considerarem menos inteligentes do que os não-tímidos.
(...)
Não é um defeito de personalidade, mas pode limitar as experiências de vida de um indivíduo.
Não é possível eliminá-la, mas o indivíduo pode aprender a lidar melhor com a timidez, obtendo sucesso em sua comunicação e , conseqüentemente, em seus relacionamentos profissional, social e familiar.
Mas a timidez tem um custo muito alto. Crianças e adolescentes tímidos são sempre alvos de gozações e perdem oportunidade de participar de grupos, quer seja de lazer ou estudo. (...)
Tornam-se sós, tem dificuldade de iniciar relacionamentos amorosos e de amizade, demoram a escolher suas carreiras e podem usar álcool e drogas como lubrificantes sociais.
No entanto, essa característica não tem apenas aspectos negativos. A timidez deve ter tirado muitos de nossos ancestrais de confrontações com feras perigosas, garantindo a perpetuação de nossa espécie. (...)
Pessoa tímidas são excelentes ouvintes e consideradas ótimas amigas.
Não existe cura para a timidez porque não é um problema que deve ser eliminado.
O tímido deve aceitar com amor sua condição e mudar suas opções de pensamento e comportamento. Isto é um fenômeno irreversível e imutável. É possível aprender a lidar melhor com essa característica com o passar do tempo, por meio das experiências de vida, com intervenção terapêutica ou programas de treinamentos.
 
Por Leda Vasconcellos – Revista Ciência & Vida – Psique


Nenhum comentário:

Postar um comentário