quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

Os aposentos vazio da depressão


Em geral, a experiência depressiva se caracteriza por sofrimentos de tamanha intensidade que dificilmente podem ser imaginados por quem nãos os sentiu.
Para quem sofre de depressão, sentir-se não compreendido na própria dor torna mais aguda a sensação de estranheza e de pena de si. Estímulos, conselhos, exortações para reagir e fortalecer-se nada mais fazem que acentuar a desesperada solidão do paciente, sua insustentável responsabilização por alguma coisa que já não controla.(...)
Embora a perda de energia e vitalidade, as sensações de confusão, a incapacidade de concentrar-se, fazer escolhas, trabalhar e amar possam ter intensidades diferentes de pessoa para pessoa, significam, de todo modo, um pano de fundo constante. Além disso, sentimentos de impotência e derrota dominam o cenário. Os dias começam com o pesadelo de novas e intermináveis provas a enfrentar. Até atividades elementares, como levantar-se, lavar-se, passear e outras tantas, custam esforços imagináveis. (...) A sucessão de dias que parecem iguais, sem melhoras, revigora a visão pessimista do paciente quanto ao próprio futuro. A postura em relação a esse distúrbio, todavia muda de indivíduo para indivíduo.
Na depressão o suicídio é muito freqüente.


Por Mauro Maldonato – Revista Viver Mente & Cérebro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário